3 de nov de 2015

Estudante aldeense de 19 anos é aprovada em universidade americana

Ana Catarina Avila Vitorino, moradora de São Pedro da Aldeia, foi aprovada no Presidential Honors Program da Universidade Estadual de Tarleton, no Texas, e inicia curso de graduação nos primeiros meses de 2016



(RC24h) A estudante Ana Catarina Avila Vitorino, de 19 anos, moradora de São Pedro da Aldeia e membro do Clube de Astronomia Louis Cruls, de Campos dos Goytacazes, está prestes a realizar um sonho que até pouco tempo parecia distante. A jovem foi aprovada no Presidential Honors Program da Universidade Estadual de Tarleton, no Texas, Estados Unidos, e recebeu o Dick Smith Scholarship.

Nos primeiros meses de 2016, a jovem iniciará um curso de graduação na Universidade Estadual de Tarleton, onde também será bolsista do Observatório sob orientação do Dr. Mike Hibbs.

A trajetória de Ana Catarina começou de forma despretensiosa, após ganhar um concurso de redação. Desde então, as coisas passaram a fluir de forma natural e, cada vez mais, novos horizontes vão surgindo no caminho da estudante.

- Tudo começou meio por acaso. Conheci o Clube de Astronomia Louis Cruls através de um concurso internacional de redação da NASA, que ganhei em 2009. Na cerimônia de premiação, conheci o professor Marcelo Oliveira, e decidi me tornar membro do clube. Conforme fui participando de algumas atividades, meu interesse pela astronomia foi aumentando. Como falo inglês fluentemente, fui a alguns encontros internacionais organizados pelo clube e participei de algumas viagens ao exterior como membro. Através de uma dessas viagens, conheci a Tarleton State University. Há uma parceria entre o clube e o observatório astronômico da universidade, e fomos lá aprender a operá-lo à distância, para que os alunos do clube pudessem usá-lo do Brasil. Na época da viagem, eu estava em intercâmbio high school de um ano em Chicago, pois havia ganhado uma bolsa integral da agencia AFS. Como fiz o último ano do ensino médio lá e estava em época de escolher universidade, decidi me candidatar a Tarleton e fui aceita – detalhou Ana Catarina.

Ciente da oportunidade que tem em mãos, a estudante demonstra maturidade e determinação ao avaliar o futuro que lhe espera.

- Me sinto muito feliz por ter alcançado isso, há muito tempo que tenho vontade de estudar no exterior e esse programa vai me dar acesso às melhores aulas da faculdade com os melhores professores, além de oportunidades de pesquisa. Quero ser cientista e trabalhar com pesquisas, mas ainda estou escolhendo a área específica. Espero escolher meu caminho durante os próximos quatro anos de universidade e me especializar ao máximo, pois pretendo fazer mestrado e doutorado – detalhou Ana, que revelou o desejo de voltar para o Brasil ao final do curso para aplicar seus conhecimentos científicos.

- Planejo voltar para trabalhar no Brasil quando estiver formada. Senti saudade do meu país durante o ano de intercâmbio que fiz, e o campo de ciência aqui só tende a crescer conforme o país se desenvolve. Também há um sentimento de responsabilidade muito maior agora, já que preciso manter notas altas na universidade para manter minhas bolsas e garantir um histórico bom para me candidatar ao mestrado no exterior. Imagino que todos os estudantes sintam essa mesma pressão na minha idade, afinal, é quando precisamos nos preparar para uma carreira – decretou a determinada Ana Catarina, sem esconder a ansiedade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente