12 de nov de 2015

Incêndio no Amapá atinge sítio arqueológico milenar em Calçoene

Pesquisadores dizem que a antiga estrutura de pedras não foi comprometida pela resistência das rochas

(Portal Amazônia) Um incêndio em área de mata atingiu nos últimos dias as rochas históricas do Parque Arqueológico do Solstício, próximo a sede do município de Calçoene, a 374 quilômetros de Macapá. O sítio, descoberto na década de 1950, tem o formato circular e, segundo pesquisadores, foi usado há mais de mil anos por antigos indígenas para observação astronômica. As informações são do G1 Amapá.

De acordo com o Instituto Estadual de Pesquisas Científicas do Amapá (Iepa), o fogo teria sido causado pelo forte calor na região. O incêndio não causou danos ao sítio por causa da resistência das rochas, mas destruiu toda a vegetação do entorno da estrutura de 120 pedras, algumas delas com até três metros de altura.

O diretor do Iepa, Wagner Costa, afirmou que por causa da composição das rochas a estrutura milenar não sofreu danos. "Como são rochas de granito, a estrutura em si não foi afetada, só com milhares e milhares de anos, de incêndios e não vai ser afetada. O que preocupa os arqueólogos é a visita desordenada, pois temos indícios de que pessoas estão depredando essa área".

Pela disposição das rochas na forma circular, o sítio é conhecido como "Stonehenge do Amapá", pois tem semelhança em menor escala com a estrutura localizada na Inglaterra. A estrutura de pedras era usada no passado pelos indígenas para observação do fenômeno celeste do solstício de inverno.

Para evitar a depredação e o vandalismo, o diretor do Iepa anunciou que ainda no mês de novembro equipes do instituto vão reforçar as cercas ao longo do sítio, e implantar placas indicativas sobre o que é permitido e proibido no entorno do local, que funciona para visitação monitorada de segunda a sexta-feira.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente