7 de dez de 2015

Campinas será primeira cidade a ter Área de Proteção Estelar


(Correio Popular) Campinas será a primeira cidade do Brasil a ter uma Área de Proteção Estelar. A medida, que vem atender uma demanda antiga dos astrônomos do Observatório Municipal Jean Nicolini, tem como objetivo minimizar os efeitos da poluição luminosa no entorno do observatório. O excesso de iluminação impede a visualização de estrelas e constelações, 'apagando' o nosso céu. Para evitar a 'morte das estrelas', não é necessário reduzir a iluminação, mas fazê-la da forma adequada. Ao invés de posicionar as lâmpadas voltadas para cima, elas devem ser direcionadas para baixo. “A iluminação direcionada para baixo fica até mais eficaz e protege não só o céu, mas também a fauna e a flora no entorno do Observatório”, completa o astrônomo Júlio Lobo.

O decreto que normatiza a forma com que deve ser feita a iluminação e a sua fiscalização está em análise na Secretaria de Assuntos Jurídicos. As regras e os prazos para que os moradores no entorno do Observatório se adequem à nova lei ainda não foram divulgados.

E a intenção é que, em alguns anos, toda a cidade seja iluminada de forma a proteger o céu e as estrelas. E os primeiros passos nesse sentido já foram dados. “A iluminação do novo trecho da Francisco Glicério já tem uma iluminação que preserva o céu. E agora as escolas municipais estão preparando um estudo para mudar a forma de iluminar suas unidades”, acrescentou Lobo.

A Secretaria de Educação informou, por meio da assessoria de imprensa, que irá fazer um estudo para modificar a forma com que é feita a iluminação das suas unidades. A intenção é que todas as escolas municipais, num primeiro momento, seja protetoras do céu.

A parceria entre a Educação e a Cultura rendeu outro fruto, o projeto Rota das Estrelas, lançado nesta quarta-feira durante a entrega de medalhas para 160 alunos premiados na Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica, no Museu Dinâmico de Ciências.

O programa, que tem como objetivo incentivar o amor pela astronomia e aproximar a comunidade dos astros, prevê uma série de atividades e treinamentos para alunos e professores. A partir de março do ano que vem, a equipe do Observatório inicia a capacitação de alunos e professores da rede municipal de ensino.

Os alunos premiados na Olimpíada receberão um curso onde terão aulas sobre instrumentos astronômicos, softwares utilizados para observação celeste e visualizarão constelações. As aulas acontecerão das 14h às 21h30, em Joaquim Egídio. A secretaria de Educação disponibilizará transporte e refeição para estes alunos.

Os professores de ciências da rede municipal também passarão por um curso intensivo de capacitação. A proposta é os docentes apliquem os estudos nas escolas.

Outra ação do programa é a aquisição de um planetário móvel e um telescópio itinerante. Os equipamentos serão levados às escolas, praças de esportes e áreas de lazer da cidade, com o intuito de ampliar o conhecimento da população sobre os mistérios do céu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente