6 de jan de 2016

Um Universo de estrelas de regresso ao Observatório

(Notícias de Coimbra) Na próxima sexta-feira, dia 8 de janeiro, “um Universo de estrelas” está de volta ao Observatório Geofísico e Astronómico da Universidade de Coimbra (OGAUC), com a inauguração da Cúpula Astronómica Fundação Calouste Gulbenkian e do Planetário.

A cerimónia tem lugar às 16 horas, com a presença do Presidente da Fundação Calouste Gulbenkian, Artur Santos Silva; do Vogal da CCDRC – Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro, Jorge Brandão; do Reitor da Universidade de Coimbra (UC), João Gabriel Silva; e do Diretor da Faculdade de Ciências e Tecnologia da UC, Luís Neves.

A inauguração destas duas novas infraestruturas dedicadas à promoção científica em geral, e das ciências da Terra e do Espaço em particular, resulta de um projeto de reabilitação concretizado ao longo dos últimos cinco anos, coordenado pelo Departamento de Matemática da UC.

Com um orçamento de 700 mil euros, o projeto designado “Um Universo de estrelas de regresso ao Observatório” foi financiado pelo programa QREN-MAIS CENTRO, pela Fundação Calouste Gulbenkian e pela própria Universidade de Coimbra.

A abertura da Cúpula Astronómica Fundação Calouste Gulbenkian e do Planetário «vai permitir aproximar o público em geral do Observatório Geofísico e Astronómico. Vamos ter várias atividades para promover a cultura científica», refere o astrónomo e subdiretor da Faculdade de Ciências e Tecnologia (FCTUC) com o pelouro do Observatório, João Fernandes. A sessão de abertura é pública e de acesso livre.

O OGAUC (www.mat.uc.pt/~obsv) resultou da fusão, em 2013, entre o Observatório Astronómico da UC (fundado em 1772) e o Instituto Geofísico da UC (fundado em 1864), sendo um serviço interdepartamental da FCTUC.

Focado no estudo do Universo, o Observatório tem ainda uma missão específica que passa por adquirir, preservar, processar, interpretar e disseminar informação a todas as escalas sobre o conhecimento e a exploração do Sistema Solar, principalmente nas suas componentes geofísica e astronómica.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente