8 de dez de 2016

Bola de fogo ilumina o céu noturno na Sibéria

Meteoro assustou moradores: ‘pensei que fosse uma bomba’



(O Globo) Os moradores da República da Cacássia, no sudoeste da Sibéria, testemunharam na noite desta terça-feira uma bola de fogo cruzando os céus. De acordo com especialistas, trata-se de um meteoro, provavelmente com 10 a 15 metros de diâmetro, mas que não apresenta perigo.

O fenômeno foi captado por diversas câmeras e, rapidamente, os vídeos começaram a ser publicados no YouTube e em outras redes sociais. Por um instante, a iluminação fez com que a noite parecesse dia.

— No início, eu não entendi o que estava acontecendo. Teve uma luminescência repentina — disse Olga Sagalakova, em entrevista à emissora RT. — Não era uma luz como a do dia, mas ainda assim era muito brilhante.

O brilho intenso chegou a assustar algumas pessoas.

— Nós olhamos para uma montanha perto e tinha um imenso meteoro voando sobre ela. Tinha até uma cauda — contou Olga. — Francamente, eu fiquei assustada. Eu pensei que fosse uma bomba.



De acordo com veículos de imprensa locais, o fenômeno foi visto por toda Cacássia, assim como na região vizinha de Krasnoyarsk. Nikolay Soldatov, morador da Cacássia, contou que o meteoro emitiu uma “luz fria como uma lâmpada fluorescente”.

A bola de fogo foi vista por três ou quatro segundos e, cerca de meio minuto depois, foi ouvido um estrondo, que disparou alarmes de carros em muitas partes da cidade.

— Foi muito bonito. Você não vê isso todos os dias — contou Sergey Isaykin.



O governo se apressou em informar que o meteoro não provocou danos, como o episódio de Chelyabinsk, há três anos. Nos fóruns locais, moradores começaram a especular sobre a possibilidade de um teste militar, mas as autoridades garantiram que se trata de um fenômeno natural.

Se algum fragmento sobreviveu à queda, eles devem ter se espalhado por uma região conhecida como Babik Valley. Uma expedição já foi enviada para o local.

— O meteoro era muitas vezes menor do que o de Chelyabinsk, mas fragmentos podem ser encontrados — disse Viktor Grokhovsky, professor da Universidade Federal de Ural.

— Provavelmente não tinha mais que 10 a 15 metros de diâmetro, e era feito de rocha, não de ferro — disse Natan Eysmont, do Instituto Russo de Pesquisas Espaciais. — Esses meteoros, a não ser que entrem na atmosfera num ângulo muito agudo, não são perigosos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente