9 de dez de 2016

Dias na Terra ficam 1,8 milissegundo mais longos a cada século


(O Globo) Para os que reclamam da falta de tempo, uma boa notícia: os dias na Terra estão ficando cada vez mais longos. Mas a má notícia é que a variação é imperceptível, de apenas 1,8 milissegundos a cada século. Nesse ritmo, para o dia ganhar apenas um minuto levará 3,3 milhões de anos, em para ganhar uma hora, serão necessários cerca de 200 milhões de anos.

— É um processo muito lento — disse em entrevista à AFP Leslie Morrison, astrônomo aposentado do Observatório Real de Greenwich, no Reino Unido, e coautor do estudo publicado nesta quarta-feira no periódico “Proceedings of Royal Society A”. — Essas estimativas são aproximadas porque as forças geofísicas operando na rotação da Terra não necessariamente serão constantes por período tão longo.

Para o estudo, Morrison e sua equipe utilizaram teorias gravitacionais sobre o movimento da Terra em torno do Sol, e da Lua em torno da Terra, para calcular o tempo dos eclipses da Lua e do Sol ao longo do tempo, como vistos do nosso planeta. Então, eles calcularam de quais locais da Terra esses eclipses seriam visíveis e compararam esses dados com observações relatadas por antigos babilônios, chineses, gregos, árabes e europeus medievais.

— Nós obtivemos registros históricos relevantes de historiadores e tradutores de antigos textos — explicou Morrison. — Por exemplo, as tábulas babilônicas, em escrita cuneiforme, mantidas pelo Museu Britânico, que foram decodificadas por especialistas.

Os pesquisadores encontraram discrepâncias entre onde os eclipses deveriam ter sido observados, com base nos cálculos, e onde eles foram realmente observados, com base nos registros históricos.

— Essa discrepância é a medida de como a rotação da Terra está variando desde 720 a.C. — disse Morrison, indicando o período quando as antigas civilizações começaram a registrar os eclipses.

De acordo com o estudo, os fatores que influenciam a rotação da Terra incluem o efeito da gravidade da Lua sobre a Terra, as alterações no formato do planeta por causa da redução das camadas polares desde a última Era do Gelo, interações eletromagnéticas entre o manto e o núcleo da Terra e mudanças no nível do mar.

Cálculos anteriores, com base apenas no efeito da gravidade lunar, indicavam que cada dia na Terra ganhava 2,3 milissegundos por século. Essas pequenas alterações fazem com que os relógios de alta precisão sejam ajustados a cada poucos anos para garantir a sincronia com a rotação do planeta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente