1 de dez de 2015

Jogo educativo pode ser ferramenta para consolidar alfabetização

Brigadeirolândia propõe ensino de astronomia em game de soletração



(SEGS) O grupo de desenvolvimento de jogos educacionais Ludo Educativo, vinculado ao Centro de Desenvolvimento de Materiais Funcionais (CDMF), lançou o game Brigadeirolândia, que propõe desafios de soletração com palavras relacionadas à astronomia para que os alunos possam consolidar de uma forma lúdica e divertida o processo de alfabetização.

“Acredito que o jogo Brigadeirolândia pode fornecer de forma lúdica mais uma vivência para auxiliar na consolidação da alfabetização”, explicou a coordenadora pedagógica do grupo, Marília Faustino. A ideia surgiu a partir da constante demanda de jogos de soletrar, por serem jogos de rápido consumo e servirem como ferramentas auxiliares nas escolas.

O Brigadeirolândia foi feito para crianças entre 10 a 12 anos, ou seja, estudantes com idade escolar entre o 6º e o 7º ano. O tema do game é astronomia e o jogador deve zelar para que nunca falte doces para os brigadeirolenses, amistosos habitantes desse universo. Assim, ele precisa acertar as palavras relacionadas às charadas. A cada acerto, o jogador acumula uma pontuação, mas deve ter cuidado ao errar, pois assim o personagem brigadeirolense não se alimentará, podendo quebrar a máquina de brigadeiros.

Gabriel Lima, coordenador de desenvolvimento do grupo, explica que para que o jogo tenha sucesso como ferramenta auxiliar, é ideal que seja aplicado após uma aula de astronomia e juntamente ao professor responsável pelo conteúdo. “O professor poderá ajudar os alunos com as dicas fornecidas pelo jogo, reforçando o que foi visto em sala de aula com o objetivo de consolidar a alfabetização, além de promover o aprendizado em astronomia”, disse.

O jogo pode ser acessado através do link: http://portal.ludoeducativo.com.br/pt/play/brigadeirolandia.

O diretor do CDMF, professor Elson Longo, professor do Instituto de Química da Unesp de Araraquara, ressalta o uso do portal Ludo Educativo como ferramenta pedagógica em escolas. "O Ludo já ultrapassou os 8 milhões de acessos no país e no exterior, e está sendo utilizado pela rede estadual de educação em São Paulo", apontou.

Sobre o Ludo Educativo
O Ludo Educativo é um projeto de extensão universitária que surgiu em 2012, conta com cerca de 160 mil acessos mensais e tem jogos gratuitos sobre diversos assuntos que estão presentes no dia a dia de crianças e adolescentes, como a escassez de água, dengue, preservação do meio ambiente e a preparação para o vestibular.

A equipe do projeto é formada por designers, programadores e pedagogos da Aptor Software, uma empresa spin-off que surgiu nos corredores da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) e Universidade Estadual Paulista (UNESP). Conheça mais jogos do grupo no site http://portal.ludoeducativo.com.br.

O CDMF é um dos Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPID) apoiados pela FAPESP. O Centro também recebe investimento do CNPq, a partir do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia dos Materiais em Nanotecnologia (INCTMN), integrando uma rede de pesquisa entre UNESP, UFSCar, Universidade de São Paulo (USP) e Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares (IPEN).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente