6 de jan de 2016

Entra o novo ano e o cometa Catalina aumenta o brilho

Vem a Lua nova com um céu escuro para ver os astros, mas vem também a chuva. Fuja do mau tempo e das luzes da cidade e tente ver a chuva de estrelas, o cometa Catalina e alguns planetas.


(Observador - Portugal) Um quarto minguante, a Lua no ponto mais afastado da Terra, a Terra no ponto mais próximo do Sol, uma chuva de meteoros e um cometa a cruzar o céu. Assim, começou o ano de 2016. E de que forma é que isso pode influenciar a nossa vida? De nenhuma. A não ser que queira passar as próximas noites ao frio e à chuva só para conseguir observar o céu.

O ano entrou com uma das “das melhores chuvas de meteoros no hemisfério norte”, escreveu o Observatório Astronómico da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa (OAL) no site. As Quadrânticas podem ter uma atividade máxima de 120 meteoros por hora, mas são pouco conhecidas porque têm um período de atividade muito curto: começaram a 28 de dezembro, tiveram o pico no dia 4 de janeiro e terminam no dia 12. A chuva de meteoros só termina depois da Lua nova, mas a noite que se prevê escura será também chuvosa e má para observar tanto as Quadrânticas como o cometa Catalina.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente