3 de fev de 2017

CBPF apresenta na ONU plataforma de dados sobre espaço exterior

(CBPF) Um pesquisador do Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas (CBPF), no Rio de Janeiro (RJ), estará presente a um encontro patrocinado pela Organização das Nações Unidas (ONU) que começa hoje (30/01) em Viena. O evento irá discutir temas relacionados ao uso do espaço exterior e à ampla disseminação do conhecimento em ciências espaciais.

O encontro – que se estenderá até 10 fevereiro próximo – é a 54ª sessão do Subcomitê Técnico e Científico do Comitê para o Uso Pacífico do Espaço Exterior (COPUOS), criado em 1959. Entre as várias atribuições desse órgão – ligado ao Escritório para Assuntos do Espaço Exterior da ONU (UNOOSA) – está a organização de intercâmbio e difusão de informações sobre as pesquisas relacionadas ao espaço exterior.

Ulisses Barres de Almeida, do CBPF – que tem chegada prevista a Viena neste sábado (04/02) – foi indicado para participar do evento pela Assessoria Internacional da Agência Espacial Brasileira (AEB), que está interessada no tema da apresentação do físico experimental: o BSDC (sigla, em inglês, para Centro Brasileiro de Dados Científicos).

O BSDC é um banco de dados centralizado e de grandes proporções que reunirá os resultados de experimentos em ciência espacial aos quais o Brasil está ligado, integrando-os a uma interface online internacional e aberta.

Universo aberto
A origem do BSDC está em seu congênere ASDC (sigla, em inglês, Centro de Dados da Agência Espacial Italiana), criado há cerca de duas décadas pela Agência Espacial Italiana (ASI), como iniciativa do astrofísico italiano Paolo Giommi, atual diretor do ASDC.

O ASCD está hoje entre as principais bases de dados de ciências espaciais do mundo. Reúne o arquivo completo de dezenas de missões espaciais, catálogos de observatórios astronômicos terrestres, bem como de satélites modernos, como Planck, Gaia e AMS-02.

Ano passado, o COPUOS lançou a iniciativa para a criação de uma plataforma internacional para reunir dados sobre temas relativos ao espaço exterior. A proposta italiana baseada no ASDC foi uma das escolhidas não só como modelo de referência, mas também para integrar o portal Open Universe.

Criado com base no conceito de ‘ciência-cidadã’, o Open Universe é um programa desenvolvido sob os auspícios da COPUOS. Seu objetivo é dar acesso, ao grande público, a dados científicos de qualidade sobre ciência espacial.

O Brasil faz parte da iniciativa Open Universe por meio do portal BSDC, cuja plataforma está em construção e deve ser inaugurada em breve.

Democratização da ciência
O CBPF tem sido o responsável pelo desenvolvimento do BSDC, que nasceu como um braço nacional do ASDC, com apoio técnico e científico do ICRANet (sigla, em inglês, para Centro Internacional para a Astrofísica Relativística), com sede na Itália.

Além de Barres, também participa do projeto do BSDC o físico brasileiro Carlos Brandt, doutorando sob a supervisão de Giommi, na ASI – Brandt teve seu mestrado orientado pelo pesquisador titular do CBPF Martín Makler.

“O objetivo do BSDC é reunir e integrar dados produzidos pela ciência nacional ou de interesse para os pesquisadores brasileiros nessa grande plataforma internacional, a qual, agora, a partir da iniciativa Open Universe da ONU, ganha nova escala, pelo fato de atingir não só a comunidade acadêmica, mas também o grande público interessado em ciências espaciais”, disse Barres.

“De fato, a iniciativa Open Universe visa reproduzir, de modo ampliado, o modelo de plataforma – acessível por ferramentas web – lançado pelo ASDC, no qual os dados científicos estão prontos para uso, sem a necessidade de que o usuário tenha conhecimentos técnicos específicos para sua análise”, acrescentou o pesquisador do CBPF.

Além desse nítido aspecto educacional, o ASDC tem, por sua capacidade de disseminação de dados, o potencial de aumentar o impacto científico das instituições participantes e permitir que pesquisadores e técnicos que trabalhem fora dos grandes centros produtores de informação tenham acesso a dados de alta qualidade e já reduzidos (“prontos para o uso científico”), contribuindo, assim, para a democratização da ciência.

Segundo estatísticas de 2015 da ASI, o acesso à plataforma ASDC supera os 50 mil usuários anuais. Desde 2008, tem sido mantida uma média de quase 200 artigos publicados por ano resultantes do uso de seus dados ou das ferramentas de análise online que a plataforma disponibiliza.

Mais informações:

ASDC: http://www.asdc.asi.it/

UNOOSA: http://www.unoosa.org/

Documento (PDF) sobre o Open Universe: http://bit.ly/2jwaULx

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente