7 de jun de 2016

Pico das Cabras se prepara para ser polo astronômico

(Correio Popular) O Pico das Cabras, em Campinas, velho conhecido dos trilheiros e dos amantes da natureza, se transformará em breve em um dos maiores complexos astronômicos do País. Em um terreno particular ao lado do Observatório Municipal Jean Nicolini, no distrito de Joaquim Egídio, está sendo construído, a todo vapor, um grande espaço de estudo e contemplação do universo, que vai contar com um radiotelescópio espacial educacional, museu com imagens e histórias do universo e planetário, entre outras atrações.



Instalado em uma área de aproximadamente 400 mil metros quadrados, o complexo será um complemento ao observatório municipal, que dará todo o suporte aos astrônomos e especialistas. A previsão é que todos os fins de semana de julho o local proporcione aos visitantes momentos de contato com o espaço. Um astroteatro com capacidade para 80 pessoas já está pronto, e o visitante fica deitado, observando as constelações sob explicações do astrônomo Júlio Lobo, do observatório municipal.

“Eu mesmo farei as sessões para explicar as constelações e vou convidar as pessoas para que elas voltem no domingo, porque daí podem ver no observatório utilizando o telescópio o que aprenderam na noite de sábado”, disse Lobo, lembrando que existem somente quatro astroteatros no mundo.

Atualmente, o visitante paga R$ 5,00 para entrar no local, e o roteiro mais procurado — enquanto as atrações não ficam prontas — são as pedras Agulha, da Águia e a Mor. São formações rochosas muito utilizadas pelos praticantes do rapel e também por aqueles que nos fins de tarde vão observar o por-do-sol. A pedra Mor, por exemplo, é um grande paredão vertiginoso que proporciona uma vista deslumbrante das cidades de Itatiba, Morungaba e Bragança Paulista. Essas trilhas (são mais de seis) estarão no roteiro do complexo, e pelo menos 15 guias auxiliarão os visitantes nos percussos.

O proprietário do local, que à princípio não quer divulgar o nome, disse ao Correio que possui a área há 25 anos. O projeto de transformar aquele local em um atrativo astronômico foi retomado há pouco mais de um ano e meio, quando então deu-se início as obras. “O local estava sendo degradado por vândalos e estava prejudicando muito o observatório municipal. Faziam queimadas e era uma baderna”, lembra.

Ele conta que foi o arquiteto Denis Perez quem teve a primeira ideia de transformar o local em um ponto de observação, há 32 anos. “Como uma forma de reconhecimento pelos esforços dele daremos o nome ao anfiteatro que iremos construir (com capacidade para 1.800 pessoas) de Cila Perez Valdivia, sua mãe”, disse.

Projeto inclui formigário, antenas e jardim sensorial
A previsão é de que em março do ano que vem o planetário esteja concluído. Ele terá 12 metros de diâmetro e será circundado pelos anéis de Saturno. A cúpula deverá ser finalizada até outubro. Construído em um dos platôs do complexo, um iglu de pedra irá projetar imagens de estrelas e terá um som relaxante.

Já estão em fase de testes as duas antenas de radiotelescópios. Elas lembram parabólicas gigantes e funcionam para capturar radiações eletromagnéticas emitidas ou refletidas pelos corpos celestes. É um equipamento para escutar a frequência das estrelas, além de outros sinais emitidos em toda galáxia. O som capturado pode ser gravado e mostrado para as pessoas em visitas.

Outra homenagem que o proprietário irá realizar será para o comandante José Roberto Adriani, o patrono da patrulha aérea civil brasileira. Adriani realizava treinamento naquela região, e levará seu nome em um museu sobre a patrulha aérea. Outra atração será o celostato, que é um aparelho composto por um conjunto de espelhos que refletem o sol na parede sem ofuscar a visão e permitem a observação de manchas solares. Ele ficará em um contêiner, já posicionado ao lado do iglu.

Mas antes de aproveitar todas as atrações o visitante primeiramente passará por um jardim sensorial, onde deverá tirar os sapatos e entrar em contato com a terra, a grama, pedras e depois iniciar a contemplação das estrelas. Projetos futuros serão a construção de um formigário e borboletário. “Estamos com 25% do projeto pronto, e a primeira etapa será a entrega da parte da astronomia”, contou o proprietário, que também não revelou o valor do investimento. “A nossa intenção é criar em Campinas esse grande centro astronômico, trazer pessoas de diversas partes do País para essas fantásticas observações”, finalizou.

Vídeo produzido com drone mostra ‘outro lado’ do pico
Um vídeo impressionante filmado com um drone mostra o Pico das Cabras de uma forma que poucos campineiros viram. As imagens, editadas pelo piloto de avião Gustavo Oliveira Barbosa, foram gravadas no último dia 28 com um drone modelo Phantom 3 Professional. Dono da empresa GOB Fotografia Aérea, o piloto conta que decidiu filmar a região porque costumar passear por lá. Os 30 minutos de imagens gravadas por Barbosa passaram por um trabalho de edição que durou cerca de uma hora e foram transformados em um belo vídeo de dois minutos. Ele disponibilizou o material na página da empresa e em pouco tempo teve mais de 1,3 mil compartilhamentos.

“Fui com a minha mãe e a namorada passear e fiz o vídeo rápido porque já estava escurecendo”, conta. Diante do sucesso do vídeo, o piloto conta que já planeja uma segunda incursão, dessa vez para mostrar, também com imagens aéreas, como é o acesso até o Pico das Cabras.

“Quero fazer também uma imagem 3D do Pico das Cabras”, completa. Ele explica que para fazer esse tipo de fotografia, precisa de 800 a 1000 imagens do lugar. “Todo material é colocado em um software para a montagem da fotografia”, explica. Barbosa já fez uma imagem 3D do Balão do Castelo com o seu drone.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente