22 de jun de 2017

Caçadores de estrelas cadentes


(Scientific American Brasil) Às vezes, olhando para o céu noturno, enxergamos um breve rastro de luz cortando o firmamento - uma estrela cadente, na linguagem popular. No mundo da astronomia, porém, esse rastro luminoso ganha o nome de meteoro, e é gerado pela entrada de uma partícula ou pedaço de rocha espacial na atmosfera terrestre. A observação de meteoros no Brasil vem se intensificando nos últimos três anos, e ganhou um novo capítulo na última segunda-feira, no dia 5 de junho. Naquele dia, a União Astronômica Internacional (UAI) e o Meteor Data Center (MDC) aceitaram o registro de 23 novas de chuvas de meteoros identificadas por brasileiros.

As recentes descobertas foram feitas pela Brazilian Meteor Observation Network (Bramon), rede de astrônomos amadores e profissionais do Brasil de monitoramento de meteoros. Ela foi fundada em janeiro de 2014 pelos astrônomos amadores Renato Poltronieri, Carlos Augusto di Pietro e um terceiro parceiro, que se desligou após alguns meses. Outras duas descobertas anteriores de chuvas de meteoros já haviam sido feitas pela rede, aprovados pela UAI e pelo MDC no final de março deste ano.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente